Encontro Internacional de Cidades felizes tem o apoio institucional da FADECIT

3 de dezembro de 2019

De 03 a 05 de dezembro acontecerá em Belo Horizonte o 5º encontro internacional de Cidades felizes, uma realização do Instituto Movimento pela Felicidade.

O evento é realizado desde 2015 na cidade de Quillota no Chile. Este ano Beagá sediará o encontro, cujo tema será “Desenvolvendo cidades sustentáveis para um mundo melhor”. Os debates, painéis e reunião serão realizados no SEBRAE MINAS e conta com um número expressivo de apoiadores institucionais, entre eles a FADECIT.   O evento proporcionará o encontro de prefeitos, gestores públicos e representantes de empresas públicas e privadas de diversos países, entre eles Argentina, Costa Rica, Colômbia, Chile, Equador e México para discutirem, durante três dias, práticas e metodologias que passam pela inclusão da felicidade do cidadão como um norte das políticas públicas, indo além dos conceitos de sustentabilidade e de cidades inteligentes. Na quarta edição do Encontro Internacional de Cidades Felizes, realizado 2018 em Quillota, ocorreu à transferência oficial do município sede da quinta edição do evento para a cidade de Belo Horizonte.

A região metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) tem o quarto melhor Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) do país, atrás de São Paulo (SP), Distrito Federal e Curitiba (PR). O resultado está no Atlas do Desenvolvimento Humano nas Regiões Metropolitanas Brasileiras. O percentual de pessoas pobres em Belo Horizonte vinha caindo nos últimos dez anos (64%), segundo o Atlas (medidos em 2014), infelizmente um leve ascenso foi percebido, nos últimos anos, reflexo perverso da crise econômica que assola o país. Contudo, aliado a hospitalidade típica dos mineiros, a riqueza de sua cultura, a beleza dos seus monumentos, a perenidade das suas tradições, as manifestações culturais e religiosas, intensas e emocionantes, o verde das praças e ruas e uma saborosa culinária, que recebeu, aliás, um importante reconhecimento da UNESCO, faz de Belo Horizonte, uma cidade ideal, para desenvolver práticas que a participação, vinculação e associação entre diversos atores do espaço público, privado e civil, sustentando assim, um esquema inovador para a criação e/ou execução de políticas públicas focadas na melhoria dos aspectos sociais, econômicos e ambientais dos municípios, estimulando práticas e políticas necessárias para se alcançar uma melhor qualidade de vida e um maior bem-estar, proporcionando um contexto de felicidade e desenvolvimento local com sustentabilidade.

A FADECIT reconhece a importância de avaliar formas que sejam capazes de empregar modelos sustentáveis tornando-se imprescindível recorrer à felicidade como princípio e condição suficiente, pois “esta sim diz respeito às obrigações do Estado social republicano com o máximo atendimento aos indivíduos e não somente com o mínimo” (Emerson Gabardo in Happiness as the theoretical fundament of development in a Social State).

Não há como ignorar o paralelismo: enquanto o mundo atual, considerado desenvolvido, e sua economia entram em colapso, e atravessam crises sucessivas, ideias que nos parecem antigas, quanto àquelas pensadas nos tempos do nascimento da filosofia e do pensamento de Aristóteles se mostram, mais uma vez, sempre atuais. A percepção de que não basta apenas o básico – quantificado, principalmente, pelo Produto Interno Bruto – é uma mostra suficiente de que o ser humano anseia mais do que isso, para realmente ser pleno e feliz. Com amparo de grandes pensadores, novas formas de se pensar o desenvolvimento e o sistema econômico são propostas. A felicidade se apresenta como popular e consistente alternativa. O momento histórico de crises repetitivas motivou a busca de novos caminhos, como bem desenvolveu João Pedro Pompeu no seu artigo “Felicidade e desenvolvimento”. Com o objetivo de refletir sobre a função dos governos e da economia, bem como procurar entender qual seria o real sentido da vida, utilizando como base partes do estudo da felicidade, este encontro debaterá nesses dias, propostas que poderão ser utilizadas para a construção de cidades desenvolvidas, sustentáveis e felizes.

A presidente da FADECIT, Prof.ª Jacqueline Ávila Ribeiro, está entusiasmada com a realização do encontro e espera que o apoio institucional da Fundação seja um componente a mais na promoção de cidades voltadas para o desenvolvimento e preocupadas com a realização emocional das pessoas. A presidente, citando Zygmunt Bauman, acredita que felicidade deve ser “como motor do pensamento é uma revolução cultural, social e econômica”.