Transparência e eficiência marcam seu protagonismo no primeiro ano de gestão da Prof.ª Jacqueline e do Prof. J. Arnaldo à frente da FADECIT

16 de janeiro de 2020

No dia 16 de janeiro de 2019 tomavam posse como presidente e vice-presidente da FADECIT a professora Jacqueline Ávila Ribeiro e o professor José Arnaldo da Matta Machado; ambos foram eleitos pelo Conselho Curador, em pleito realizado no dia 20 de dezembro de 2018.

Com tantas mudanças acontecendo ao mesmo tempo, a FADECIT precisou reinventar-se e correr contra o tempo para se adaptar. O último biênio no Brasil foi marcado pela crise econômica e a fuga de capital. O terceiro setor sentiu de perto as dificuldades que o país vem enfrentando. A FADECIT com imaginação e inovação buscou com o trabalho árduo dos seus dirigentes, imprimir na gestão que agora comemora seu primeiro aniversário, a transparência e a eficiência como protagonistas.

Para marcar o primeiro ano da gestão, nossa Assessoria de Comunicação, conversou com a presidente da Fundação, Profª Jacqueline Ávila Ribeiro e o vice-presidente, prof. José Arnaldo da Matta Machado. O breve encontro aconteceu num ambiente de empolgação, deixando entrever que a motivação que impulsionou a ambos em formar a chapa e concorrer àquelas eleições, continua em alta.

A presidente Jacqueline Ávila, comentou que assumiu a liderança da FADECIT, há um ano, justamente para colocar a Fundação em reciprocidade com o atual momento. “Nossa gestão vem fazendo várias mudanças na Fundação para alcançar o patamar de eficiência operacional necessária para a sustentabilidade financeira de nossa entidade, cuja missão precípua, é apoiar o desenvolvimento da educação”. Nesse sentido, afirmou a presidente “conseguimos alcançar o patamar de rentabilidade esperado, conquistamos alguns novos clientes, mantivemos projetos de sucesso e iniciamos a busca de projetos de inovação”.

Neste primeiro ano, disse o vice-presidente, “algumas medidas dolorosas foram necessárias, mas todas”, lembrando o discurso de posse da presidente, “justificáveis pela necessidade de regularização e saneamento financeiro”.

José Arnaldo lembrou ainda as inúmeras visitas, encontros e viagens que a presidência realizou neste ano.

De certo modo, o vice-presidente, ecoou aquele compromisso assumido por ambos, naquele 16 de janeiro de 2019: “O ideal que nos move, principalmente, é a convicção da importância dessa Fundação e a certeza de sua competência para apoiar o desenvolvimento da Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais”.

Tanto a presidente, quanto seu vice, reconhecem o labor da FADECIT e sobretudo, a responsabilidade de manter atual os princípios fundacionais, defendidos pelos Instituidores, dentre aqueles, o professor Aluísio Pimenta.

Jacqueline Ávila reafirmou que ao assumir a presidência da FADECIT, ela e o professor José Arnaldo fizeram o compromisso de continuar com as ações de regularização, mas principalmente, com “o compromisso de implementar uma gestão dedicada à realização de novos projetos, à abertura de novas frentes, ao diálogo com a nova governança do Estado e ao alinhamento mais efetivo com as demandas da Universidade do Estado de Minas Gerais” à qual, a Fundação tem a missão de apoiar, de acordo com o seu Estatuto,  “sempre pautados pela lisura e transparência de nossas ações” completou o vice-presidente José Arnaldo.

Os dirigentes, entretanto, reforçaram a indispensável ajuda dos Conselhos – Curador, Diretor e Fiscal – que “acreditando na história e nos valores sobre os quais foi criada a FADECIT, deram o apoio necessário para levarem adiante as reformas empreendidas”.

José Arnaldo, com a experiência adquirida na direção da Escola de Design – onde foi diretor – expressou que muitas medidas impopulares ou drásticas, foram pensadas e decididas tendo em conta a retomada do crescimento.

A presidente Jacqueline Ávila manifestou o desejo expresso há um ano, quando tomou posse, dizendo: “esperamos que todos compartilhem de nossa fé no sucesso”.

Para o ano, recentemente inaugurado, ambos acreditam que tendo pavimentado o caminho – com a reestruturação da Fundação – poderão empreender novos projetos e levar adiante a busca pela excelência, a sustentabilidade financeira e a mantença do apoio ao desenvolvimento da educação, ciência e tecnologia, “presente não apenas em nosso nome, mas também em nossa identidade”, disse a presidente.