Nota de pesar. Falecimento do Professor Ramon Villar.

20 de junho de 2022

“As pessoas não morrem, ficam encantadas…”

A semana iniciou-se com a triste notícia do falecimento do inestimável Professor Ramon Villar Paisal, um dos instituidores de nossa Fundação, vice-presidente e amigo de todos.

Sua marca inconfundível foi sempre o sorriso maroto; sua graça e bom humor deixa-nos uma recordação leve e feliz.

Muitas têm sido as mensagens trocadas entre as pessoas que tiveram o privilégio de conviver com o Professor Ramon, após a notícia do seu falecimento, ocorrido hoje,  20 de junho. O conteúdo delas, como era de se esperar, é de reverência e respeito à sua memória e à grandiosidade de sua vida e obra.

Lembrando-o como se assistisse a um bom e belo filme antigo – algum desses espanhóis – de fotografia nítida e suave e antológica, volto o meu pensamento para os temas mais recorrentes de sua vida profissional e suas ações aqui na FADECIT, como forma de compor um quadro de referências sobre esta grande persona. Ele juntamente com o Professor Aluísio Pimenta foi protagonista de uma das instituições de maior relevância, diante da complexidade do ensino superior brasileiro, a FADECIT.

Ambos, Aluísio e Ramon, habitam a memória de todos aqueles que tiveram o gozo de conviver com eles. A FADECIT se orgulha de tê-los como fundadores, dirigentes e, exemplos que deverão ser seguidos e, honrados.

O Professor Ramon veio do velho mundo.  Ele era da Galiza, na porção mais ocidental da Espanha. O caminho do Finisterra. E do fim do mundo medieval ele veio parar em terras além do Atlântico. E cruzando o “charco” ele se encantou com nossa gente, nossos hábitos, nossas comidas e se tornou um brasileiro com sotaque galego.

Sua relação com o Professor Aluísio Pimenta foi como a releitura de um clássico de sua terra: Dom Quixote e seu fiel amigo. Dom Quixote e Sancho Pança se respeitam e admiram-se mutuamente: se encontramos no livro as loucuras do cavaleiro, também encontramos “as situações mais admiráveis”; se encontramos as previsíveis prudências de Sancho, também encontramos “as mais verossímeis” – sobretudo, há, na história, momentos impagáveis de amizade, ensinamento e de convivência entre as duas personagens. Sancho desiste de convencer seu cavaleiro de que “moinhos não são gigantes, carneiros não são exércitos, estalagens não são castelos”¹.

Um dos momentos em que a amizade entre ambos se evidencia é quando Sancho, em um diálogo com uma senhora aristocrata – a duquesa – manifesta sua total fidelidade a Dom Quixote, mesmo que isso ponha em risco o tão almejado governo de uma ilha, algo que ele sempre desejou. Essa relação de amizade, fiel e sincera, aparentemente inviável, entre eles, constitui, na realidade, o eixo a partir do qual surge uma série de aventuras, diálogos e conversações entretidas, indagações sobre a escrita, sobre diferentes gêneros literários, sobre a própria obra, sobre o que vem a ser verdade poética e verdade histórica, construindo, assim, uma narrativa complexa e surpreendente, em que realidade e sonho se mesclam tão perfeitamente, assim como a arte se integra na vida².

A FADECIT entretanto foi o que uniu esses dois homens ilustres. E graças a essa parceria tivemos a criação dessa instituição vigorosa que hoje se sente órfã.

A trajetória do Professor Ramon foi intensa, brilhante e vitoriosa. Ele era um homem vocacionado para o diálogo. O seu empenho, força e determinação na defesa de suas ideias sempre mereceu o respeito dos seus pares e nossa admiração.

As suas gestões inovadoras à frente da FADECIT foram cuidadosas e, sobretudo, respeitosas com o importante legado de seu antecessor — Aluísio — e dos instituidores em geral, com os quais manteve grande afinidade intelectual e política.

Nesse sentido, Guimarães Rosa falou essa frase num discurso para ABL e depois de quatro dias morreu  “a gente morre pra provar que viveu” que garante a perenidade do legado do Professor Ramon Villar Paisal.

Como ele mesmo disse, em 1967 :— “O mundo é mágico: as pessoas não morrem, ficam encantadas…” Descanse em paz, Professor! Obrigado!

 

Jacqueline Ávila Ribeiro

Presidente da FADECIT